O que é comércio justo – Quetzalli

Comércio justo: o que é e como consumir de forma consciente

Comércio Justo:

O que é e como consumir

de forma consciente

Além de certificados internacionais, a ideia de uma cadeia
de comércio justa pode ser presente em nosso consumo diário.
 
Vem conhecer algumas dicas que nós da Quetzalli
separamos para você praticar o comércio justo:

Se você não está familiarizado com o termo, comércio justo é uma determinação de critérios para que um produto ou empresa possa ser considerado ético e responsável. Em outras palavras: ninguém é mal pago, trabalha sob condições sub humanas e o impacto ambiental é reduzido. Isso tudo atrelado ao conceito de consumo consciente.

Por meio da transparência e do diálogo, o objetivo é que o comércio mundial seja mais sustentável e priorize o ser humano. Deve ser social, econômica e ambientalmente viável, visando o desenvolvimento sem destruição. E é exatamente isso que acreditamos e buscamos na Quetzalli!

Quem decide o que é comércio justo?


Fairtrade International é uma sociedade comercial responsável pela certificação de produtos e empresas de comércio justo. Principalmente focando na exportação de bens de países do hemisfério Sul, ela quer garantir preços mínimos para que produtores garantam sustento e invistam na manufatura. Justo, né?

A organização estabelece critérios para diferentes produtos, serviços e empresas, que abrangem questões que navegam no âmbito social, ambiental e financeiro. Por exemplo: sabia que se quiser produzir e vender chá fair trade, a empresa deve contratar o produtor da planta por pelo menos um trimestre? Isso é uma forma de evitar a exploração de populações marginalizadas.

No caráter ambiental, por exemplo, a organização exige que a empresa “capacite seus membros no manejo integrado de pragas''.
Ela precisa garantir que esta capacitação inclua:

  • Monitorização de pragas e doenças;

  • Formas alternativas de controle de pragas e doenças;

  • Medidas preventivas contra pragas e doenças;

  • Medidas para evitar que pragas e doenças
    criem 
    resistência a pesticidas.

Deu pra notar que a ideia é tornar a cadeia produtiva mundial mais condizente com o século XXI, certo?


O que posso fazer para tornar o comércio mais justo?


Uma pessoa sozinha não torna o comércio justo, claro. E o impacto ambiental de grandes indústrias é muito maior do que o individual.
Mas, o poder está na mão do consumidor, que pode adotar algumas estratégias que estimulam os pequenos (e grandes) produtores a terem um negócio mais consciente e sustentável. Você, consumidor final, pode tornar os negócios, sua vida e sua casa um pouco mais sustentáveis, uma área de cada vez.

Bora aprender sobre?


1 - Preze pela transparência:


Nem toda marca sustentável e justa é certificada por organizações oficiais. Por conta da dificuldade em obter certificações e o olhar globalizado, nem sempre pequenas marcas têm acesso.

Mas isso não significa que elas não possam – e devam! – falar sobre sua produção. Isso vale para o impacto social, ambiental e cultural. Ao descobrir uma nova marca, por exemplo, visite o site e aprenda mais sobre os valores da empresa. Ela prioriza consumo consciente, produção em pequena escala ou técnicas que minimizem o impacto ambiental? Aposte! Você vai se surpreender com quantas pequenas marcas, como a Quetzalli, se preocupam com isso!

E se a marca não disser nada? Bom, aí é com você: que tal enviar um email ou buscar o formulário de contato perguntando sobre a cadeia de produção? Quem sabe além de tirar a dúvida, você inspire a empresa a ser aberta sobre as práticas?


2 - Compre local:


Um jeito rápido e fácil de melhorar seu consumo? Que tal comprar da indústria nacional e local? É claro que sabemos que nem sempre as condições de trabalho são ideais, mas o interessante de consumir sob essa ótica é que existe maior chance de controle.

Como saber se o produtor daquele item a milhares de quilômetros está recebendo um salário mínimo? Como forma de combater a técnica das mega corporações de utilizar mão de obra subempregada, compre da indústria nacional
(e claro, cobre transparência!).


3 - Compre do pequeno:


E se você quiser ir além: aproveite o impulso e comece a consumir de produtores locais em pequena escala. Isso vale em todo o tipo de consumo, inclusive. Cooperativas de produtores de alimentos, marcas autorais de moda e decoração, comida e bebida feita localmente, empresas de sua cidade, tudo pode ser mais justo.

Imagine: se você compra de um pequeno produtor, você contribui diretamente para a formação de uma cadeia de comércio justo. Afinal, o apoio financeiro e cultural se destina diretamente a quem faz. 

Quer uma definição melhor de comércio justo?


4 - Divulgue pequenos negócios:


Comprou algo do pequeno produtor e curtiu? Não se esqueça de contar aos amigos! Nós adoramos ver quando nossos clientes brindam com uma Quetzalli e nos mostram fotos! Temos certeza que outras pequenas empresas também adoram.

Vale postar nas redes sociais, comprar pra presentear pessoas queridas, divulgar, avaliar, levar essas pessoas ao público que busca um comércio justo e um consumo mais leve e consciente.

Para conhecer marcas e empresas locais que estão trabalhando em uma escala mais sustentável, conheça a tag #compredequemfaz

Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados

Buscar nosso site

Carrinho de compras

Carregando Ambiente Seguro